26 de dez de 2009

O exemplo poderia começar pelo estado


Causa dos acidentes


Acidente de trânsito é todo evento danoso que envolva o veículo, a via, o homem e/ou animais e para caracterizar-se, é necessário a presença de dois desses fatores.
Os acidentes de trânsito no Brasil atualmente, faz com que uma grande quantidade de vidas sejam perdidas anualmente. Segundo dados do DENATRAN, em 2005 foram mais de 26 mil mortos em acidentes, 513 mil feridos do total de 383.371 acidentes com vítimas. São números assustadores maior do que sérias doenças que atingem a população brasileira. Mas, infelizmente, esses números parecem não atingir a sensibilidade e razoabilidade dos dirigentes dos órgãos de trânsito e dos nossos governantes, no sentido de se combater veementemente e com ações essa real guerra no trânsito.
Os números apresentados ainda podem ser questionados em razão de não refletir a real situação do País por conta de várias cidades e, principalmente, Estados não terem fornecidos a totalidade dos dados, conforme vemos nos dados oficiais (veja e baixe toda a estatística na página de Download) e do que sabemos que muitas vítimas fatais ainda constam como feridos nas estatísticas, isso porque, aqueles que saíram com vida do acidente mas vieram a falecer a partir das 72 horas, terão a tendencia de constarem nas estatísticas de acordo com o registro inicial feito no local do acidente. Assim, o número de mortos é maior e o número de feridos é menos do que constam na estatística.
Pouca gente tem coragem de falar, principalmente as autoridades, mas a falta ou diminuição no rigor na fiscalização e penalização dos infratores de trânsito tem contribuído de maneira significativa para o aumento e agravamento dos acidentes de trânsito. Os acidentes tem aumentado, mas um fator importante é que eles tem vitimizado mais seriamente as pessoas. Ações com fins políticos e eleitoreiros, obrigação de informar onde está localizado os equipamentos eletrônicos de ficalização, preocupações apenas com engarrafamentos e congestionamentos, falta de punibilidade e verdadeiras campanhas educativas são alguns exemplos do que estamos nos referindo.




























EsqueletoExistem dois tipos de acidentes: o evitável e o não evitável. O primeiro é aquele em que você deixou de fazer tudo que razoavelmente poderia ter feito para evitá-lo, enquanto o segundo é aquele em que se esgotando todas as medidas para impedi-lo, este veio a acontecer.
Normalmente as pessoas perguntam quem é o culpado, onde a pergunta correta é quem poderia ter evitado o acidente.Uma das maiores causas dos acidentes chama-se condutor de veículo. Estatisticamente, 75% dos acidentes foram causados por falha humana (condutor), 12% por problemas nos veículos, 6% por deficiências das vias e 7% por causas diversas, ou seja, podemos dizer que o homem, no mínimo, é responsável, direta ou indiretamente, por 93% dos acidentes.Na atualidade, o Brasil participa com apenas 3,3% do número de veículos da frota mundial, mas é responsável por 5,5% dos acidentes com vítima fatal, registrados em todo mundo. Entre as diversas causas podemos citar:

 imprudência dos condutores; excesso de velocidade;
 desrespeito à sinalização;
 ingestão de bebidas alcoólicas;
 ultrapassagens indevidas;

 má visibilidade (chuva, neblina, cerração, noite);
 falta de atenção;
 defeitos nas vias;
 falta de manutenção adequada dos veículos;

 distração interna do condutor (rádio, passageiro, celular, objetos soltos no interior do veículo);
 ação evasiva inadequada, frente a um fator adverso (buraco, veículo parado,etc.);
 técnica inadequada ao dirigir veículo (não observar o retrovisor externo e esquerdo, por exemplo);

 avaliação errada de distância e velocidade de um outro veículo, tanto no mesmo sentido (andar na "cola") como em sentido contrário;
 falta de cortesia no trânsito;
 não obediência das normas de circulação e conduta (tanto para condutores como para pedestres);
 falta de conhecimento e obediência das leis de trânsito (condutores e pedestres);

 impunidade dos infratores;
 sensação de onipotência advinda do comportamento inadequado ao dirigir;
 falta de educação para o trânsito;
 travessia em locais perigosos e fora da faixa ou semáforo.
 sonolência, falta de descanso, drogas (remédios, psicotropicos, tranquilizantes, etc) e fadiga.


Esses fatores podem estar associados a diversos outros ,como falta de conservação e sinalização das vias, falta de fiscalização, falta de manutenção do veículo, sono, cansaço, fadiga, animais e outros fatores que são discutidos nas páginas direção defensivadicas.
Diz o art.178 do CTB: "Deixar o condutor, envolvido em acidente sem vítima, de adotar providências para remover o veículo do local, quando necessária tal medida para assegurar a segurança e a fluidez do trânsito.
Infração média Penalidade multa".
Portanto, nesse caso, deve o condutor retirar o veículo da via, para não causar congestionamentos, outro acidente ou qualquer outra situação que ponha em risco a segurança do trânsito ou que venha a ser notificado (multado) pelo policial quando da sua chegada. Caso o veículo não tenha condições de ser removido da via, deve o condutor providenciar a imediata sinalização para não incorrer em multa (ex: triângulo, pequenos galhos de árvores ou gestos), e nunca usar objetos grandes e pesados, como pedras.
O Policial Militar deve ser chamado no local, e a ele mostrado como se encontrava(m) o(s) veículo(s) sobre a via (faça um esboço), testemunhas podem ser arroladas, anote os dados do outro veículo, condutor e do PM (nada impede que ele forneça). Lembre-se, não adianta discutir no local do acidente quem estava certo ou errado, o acidente aconteceu e alguém falhou, se não houver acordo, alguns Estados já possuem Juizados Especiais de Trânsito para resolver a situação, ou a Justiça Comum ou Pequenas Causas.


Créditos: http://www.transitobr.com.br/

novo sinal

Acidente em Erechim aumenta para 18 o número de mortos no trânsito gaúcho durante o feriadão



Colisão entre Van e Fiat, na ERS-135, vitimou o motorista e um passageiro do carro


Dois homens morreram em acidente, na tarde desta sexta, na ERS-135, em Erechim. A colisão entre uma Van e um Fiat Uno aconteceu no quilômetro 68 da rodovia. Morreram o motorista do Uno, Luciano Pereira de Matos, 33 anos, e o passageiro do veículo, Pedro Barbosa Nunes, 78 anos. Outras três pessoas que estavam no Uno ficaram feridas e foram encaminhadas a hospitais da região. .

Com esse acidente, chega a 18 o número de mortos no trânsito gaúcho durante o feriadão.

Veja quais foram os outros acidentes que resultaram em vítimas fatais:

Sexta-feira, dia 25 de dezembro

Porto Alegre - Uma pessoa morreu na colisão entre um caminhão e um automóvel Santana, por volta da 1h20min desta sexta-feira, na Avenida Brasília, Vila Ipiranga, zona norte da Capital. Paulo Melo, 52 anos, ficou preso às ferragens e acabou falecendo no local. Com isso, o número de mortos neste feriadão de Natal subiu para oito. O motorista do caminhão fugiu do local após o acidente, segundo a Brigada Militar.

Viamão - Um jovem de 20 anos foi atropelado por volta das 2h desta sexta-feira na RS-040, próximo à parada 31, em Viamão. Deivid Souza Ribeiro foi atingido por um veículo Gol vermelho quando atravessava a via na faixa de pedestres. O acidente deixou o trânsito lento no sentido Interior-Capital. Segundo a Brigada Militar, o automóvel fugiu do local.

Caxias do Sul - A colisão de uma motocicleta contra um muro na noite passada elevou para 11 o número de mortos no trânsito durante o feriadão de Natal. O acidente, que ocorreu no bairro Sagrada Família, matou o condutor da moto, Vágner Varela dos Santos, de 17 anos e a caroneira Micaele Luana Koehler, de 18.
Capivari - Morte em acidente de trânsito na ERS-040, em Capivari, na madrugada de hoje. Duas pessoas estavam em uma moto que atingiu uma árvore no Túnel Verde. Alecsandro Agert Raymundo, 19 anos, morreu no local. A outra ficou ferida e está sendo encaminhada ao Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. As vítimas ainda não foram identificadas.

Carazinho - O motorista de um Astra, Luis Scheuer e o caroneiro, Silvano Azambuja Monteiro, 59 anos, morreram em um acidente ocorrido por volta das 3h50min de hoje, no km 33 da estrada Passo Fundo-Carazinho (BR-285), no norte do Estado. O veículo teria saído da pista e caído em um barranco com cerca de 50 metros de altura. As vítimas morreram no local. Uma terceira pessoa que estava no banco de trás teve ferimentos, foi levada para o Hospital de Caridade de Carazinho e passa bem.
Alegrete - Claudemir da Silveira, 44 anos, trafegava numa moto 125 cilindradas pela Avenida Tiaraju, no bairro Capão do Anjico, zona Leste Alegrete, quando se chocou com uma placa de trânsito. O acidente ocorreu por volta das 5h de hoje. Silveira foi socorrido, mas chegou na Santa Casa de Alegrete sem vida. (Marina Lopes/Zero Hora)

Quinta-feira, dia 24 de dezembro

São Marcos - Larissa Rasador Cruz, 27 anos, morreu às 17h de quinta-feira, no km 129 da BR-116 (Caxias do Sul-Vacaria), quando sua moto colidiu com um caminhão, próximo à ponte do Rio São Marcos.
Capão Novo - Idoso de bicicleta morre após ser atingido por uma moto no Litoral Norte. Manoel Idalino Jacobis de 71 passeava de bicicleta nesta manhã na avenida Paraguassu em Capão Novo quando foi atingido por uma moto. Ele foi encaminhado para o hospital santa luzia aqui em capão da canoa, mas não resistiu e morreu. O motoqueiro Tiago Santos de 20 anos também está internado em estado grave. Ambos são moradores de Capão Novo. É o primeiro acidente com vitima fatal no litoral norte neste feriadão de Natal. 

Eldorado do Sul - Caminhão e Parati colidiram no quilômetro 292 da BR-116. Paulo Roberto Cardoso Kisner, 58 anos, condutor da Parati, morreu na hora. No caminhão haviam duas pessoas que não se feriram. 

Palmeiras das Missões - Motociclista não identificado, 20 anos, morreu após colidir contra carro nesta manhã no quilômetro 16, na ERS-569. A moto com placas de Três de Maio colidiu contra uma BMW. De acordo com a Brigada Militar, o jovem não possuia habilitação. 

Turuçu/São Lourenço - Duas pessoas ainda não identificadas morreram na tarde desta quinta-feira em acidente envolvendo quatro carros (Golf, com placas de Porto Alegre, Fox, de Santa Maria, Prisma, de Gravataí, e Uno, de Pelotas) na BR-116, no quilômetro 477, entre Turuçu e São Lourenço, na Região Sul. Pelo menos uma pessoa teria ficado gravemente ferida no acidente, que ocorreu por volta das 18h em uma reta da pista, que estava molhada.

Quarta-feira, dia 23 de dezembro

Viamão - Um acidente na ERS-118, em Viamão, deixou uma mulher morta e outras quatro pessoas feridas. A colisão ocorreu por volta das 20h30min, no Km 35 da via.

Santo Antônio do Planalto - Uma colisão envolvendo um Corsa e um caminhão matou o motorista do carro, Manoel Coimbra da Silva, 47 anos, no km 188 da BR-386.


ZEROHORA.COM

Uma história de vida!

21 de dez de 2009

Mortes no trânsito mostram que motoristas não estão preparados para dirigir.

No Brasil, para cada morte no trânsito, 11 pessoas são internadas, das quais 49% atropelados, 25% de acidentados com motos. Para cada morte, ocorrem quase mil colisões, o que evidencia um comportamento de risco por parte do motorista, que está mal preparado para conduzir ou transportar, disse para a Agência Brasil o ortopedista Marcos Musafir.
Em 1997, quando havia 12 milhões de pessoas habilitadas ao uso de veículos a menos no Brasil, 55 mil pessoas eram mortas por ano em função de acidentes no trânsito. Esse número baixou para cerca de 40 mil óbitos/ano. O custo com as mortes e os feridos no trânsito no Brasil alcança em torno de R$ 10 bilhões por ano, segundo dados do Ministério das Cidades.
Para Musafir, apesar da redução da mortalidade, é preciso melhorar os hospitais, para dar um atendimento melhor à população, e aumentar a fiscalização. Ele é consultor da Organização Mundial da Saúde (OMS) para traumas em geral, com destaque para os traumas músculo-esqueléticos, que abrangem braço, perna e coluna.
O médico disse que a OMS está usando como exemplo no mundo a Operação Lei Seca do Rio de Janeiro, realizada diariamente em vários pontos da cidade e que utiliza as vítimas de acidentes de trânsito para a conscientização da população. “Isso tem uma repercussão internacional excepcional. Também é um fator que soma para o Etienne [Krug] entender que o Brasil está se esforçando para isso”, disse.
As recomendações feitas pela OMS para diminuir as consequências dos acidentes do trânsito são conhecidas em todo o mundo. O Brasil já aplica muitas delas, disse Musafir. “São as regras básicas do trânsito seguro e saudável. Primeiro, respeito às leis do trânsito. Quem cumpre as leis do trânsito evita se expor a riscos e, logicamente, evita acidentes”.
Os motoristas devem estar atentos ao limite de velocidade, respeitar a sinalização, usar cinto de segurança, nunca consumir droga ou bebida alcoólica para dirigir, manter as crianças no banco traseiro com cinto de segurança ou em cadeiras próprias.
Essas medidas servem para “que você tenha uma redução dos riscos”, afirmou o ortopedista. Em relação às motocicletas, Musafir enfatizou a necessidade de todos usarem o capacete e respeitarem as regras do trânsito. Isso se aplica também às bicicletas, cujo uso está sendo incentivado.
Disse que o maior número de vítimas são pedestres, que atravessam fora da faixa ou atrás de veículos em movimento. “O respeito ao pedestre pelo dono da arma, que é o motorista, tem de ser enfatizado também. São essas as recomendações da OMS que encara o trânsito como um problema de saúde pública, pelos danos que causa”.
Outra preocupação é promover a saúde do trânsito, para que os motoristas tenham condições adequadas de dirigir. “Não dirigir com sono, ter iluminação correta nas vias, sinalização adequada. Tudo isso somado leva a um trânsito mais seguro, como é na Suécia, na Noruega, na Alemanha”.
O consultor da OMS destacou, ainda, que em países como a Índia e a China, o trânsito é extremamente perigoso. Na China, por exemplo, são produzidas 3 mil motocicletas por hora. E o número de mortos chega a 500 pessoas por dia. “Então, é um problema mundial. E a recomendação maior da OMS é que os países criem leis e as façam cumprir porque, assim, você teria uma redução dos traumas de trânsito”.
Essas questões serão discutidas no Seminário Internacional de Traumas no Trânsito, que ocorre este mês, no Rio de Janeiro. O seminário também servirá para mostrar ao diretor do Departamento de Violência da Organização Mundial da Saúde (OMS), Etienne Krug, que o Brasil está melhorando os índices de mortalidade e morbidade no trânsito.
,Os problemas do trânsito também serão discutidos no encontro ministerial que reunirá os 193 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) em novembro, em Moscou. No encontro, serão definidas as metas de saúde e segurança no trânsito para a Década do Trânsito da ONU, que vai de 2010 a 2020. No âmbito global, os acidentes no trânsito causam 1,3 milhão de mortos por ano ou uma morte a cada 30 segundos, de acordo com números da OMS.

Nunca teve kombi


Um dia um cara rico, ia viajando em uma rodovia com sua Ferrari, então um cara passa de Kombi pelo seu lado e grita:

- Nunca teve Kombi!!! Vruuuuuuuu.
Passa muito rápido, ai o cara da Ferrari vai atrás e passa a Kombi, olha no retrovisor e vê a Kombi vindo mais rápido e passa ele de novo. O dono da Kombi grita:
- nunca teve Kombi!! vruuuuuuuu, isso a uns 160km.
O dono da Ferrari se injuria e passa a 200km pela Kombi, mas a Kombi vem e passa ele de novo e capota em uma curva fechada, então o dono da Ferrari para e pergunta:
- Por que correr desse jeito e ficar me provocando gritando: - nunca teve Kombi?
O dono da Kombi responde:
- Sabe doutor!! Porque eu gritava nunca teve Kombi é que eu queria saber onde era o freio!!!


TRANSITO ANIMAL


O TRANSITO É ASSIM:


OS CACHORROS: SÃO OS ONIBUS E CAMINHÕES E ETC...

OS GATOS: SÃO OS CARROS DE PASSEIOS, VANS E ETC...

OS RATOS: SÃO AS MOTOCICLETAS E ETC...

AS FORMIGAS: SÃO OS PEDESTRES...

20 de dez de 2009

formspring.me

Perguntas sensatas, as abusadas poderão ser apagadas. http://formspring.me/merson

hora do rush

Nos últimos tempos tenho percebido que não existe mais hora do rush em Porto Alegre, qualquer hora é hora para engarrafamentos, antigamente chegava pelas 18hs e tudo trancava agora é tudo trancado!
Outro dia resolvi sair para o trabalho no horário das 6hs, faz um tempo isso era super tranquilo e agora carros e mais carros, ontem a noite vindo do tradicional joguinho de futebol no sábado, após um glorioso churrasco e isso era por volta das 12hs pm e o trânsito congestionadissimo de carros para o horário.
O que será de Porto Alegre em 10 anos com este aumento de frota?
Triplicará o numero de acidentes, arrecadação e o stress como fica?

16 de dez de 2009

MAIS UM ABSURDO

Sinalização de trânsito


Os sinais de trânsito são usados para orientar, advertir e disciplinar a circulação dos elementos do trânsito ao longo das vias.

Padronização: sempre que houver necessidade, as vias deverão ser sinalizadas, com a utilização da sinalização padronizada prevista no CTB (art.80).

Direitos e Deveres quanto à sinalização: todo cidadão tem o dever de conhecer, proteger, respeitar e obedecer a sinalização de trânsito. Temos direito a vias sinalizadas e seguras, claramente expresso em alguns artigos do CTB.

Colocação: a sinalização deverá ser colocada onde seja facilmente visível e legível, tanto de dia como à noite, em distância compatível com a segurança (art.80).

Visibilidade: é proibido colocar luzes, anteparos, construções, vegetação, publicidade e inscrições, que possam confundir, interferir ou prejudicar a interpretação ou a visibilidade, comprometendo a segurança (art.81).

Obrigação de sinalizar: nenhuma via poderá ser aberta ou reaberta enquanto não estiver completa e devidamente sinalizada (art.88).

Aplicação de Penalidades: as penalidades das infrações de sinalização, não serão aplicadas aos condutores se a sinalização for inexistente ou deficiente (art.90).

Responsabilidade: o órgão com jurisdição sobre a via é que deverá sinalizá-la, podendo ser responsabilizado em caso de insuficiência, falta ou erros de sinalização.


Classificação:

Sinalização Vertical Sinalização Horizontal Dispositivos Auxiliares Sinalização Semafórica Sinalização de Obras Gestos Sinais Sonoros.

Sinalização Vertical: os sinais viários, normalmente placas, estão fixados na posição vertical, ao lado da via ou suspensos sobre ela. Transmitem mensagens através de legendas ou símbolos pré-estabelecidos. A sinalização vertical, de acordo com a sua função, pode ser:

Sinalização de Regulamentação: Informam as proibições, obrigações ou restrições.

Sinalização de Advertência: São colocadas antes dos perigos das vias, alertando os condutores e pedestres.

Sinalização de Indicação: Tem caráter informativo ou educativo.

Sinalização Horizontal: Estes sinais se apresentam ao condutor, pintados ou desenhados sobre o piso, na posição horizontal, na forma de faixas, símbolos ou inscrições. Servem para orientar a circulação e direcionar o fluxo de veículos e pedestres, e para complementar a sinalização vertical.

Dispositivos Auxiliares: Estes dispositivos aumentam a visibilidade dos sinais e chamam a atenção para obstáculos no local.

Sinalização Semafórica: São sinais luminosos, controlados eletronicamente, que servem para controlar o fluxo de veículos e pedestres.

Sinalização de Obras: São muito semelhantes às de sinalização de advertência. As diferenças são: o fundo alaranjado e o caráter temporário, sempre relacionado à realização de obras na pista.

Gestos de agentes da autoridade de trânsito: Sempre que a sinalização for efetuada pelo agente, esta tem prioridade sobre as demais.

Gestos de condutores: São sinais auxiliares, indicativos de manobras.

Sinais sonoros: São os apitos do policial de trânsito.

13 de dez de 2009

Bela campanha de trânsito será que pega?

Gaúcho no trânsito


Antes de começar a escrever, fui procurar no http://pt.wikipedia.org a definição de "bairrismo" e encontrei a seguinte definição.
"O chamado bairrismo é a qualidade ou ação de quem freqüenta ou habita um bairro. Quem defende os interesses do bairro ou de sua terra tanto por atitudes de defesa exacerbada de suas alegadas virtudes, ou, por analogia, da terra natal de alguém. O termo geralmente possui uma conotação negativa, pois ao bairrismo está vinculada uma visão estreita de mundo que menospreza tudo aquilo que vem de fora. Raramente o bairrismo é encarado como uma atitude positiva, de amor e orgulho por uma região."


Busquei a definição por que queria ter certeza do que penso, bom na verdade sempre ouvir falar que o Gaúcho é extremamente bairrista, tanto por sua maneira de ser como pela história contada nos autos como a revolução Farroupilha, guerra que o Rio Grande perdeu e comemora até hoje.


Em viagem a São Paulo constatei e achei intrigante a maneira como os paulistas conduzem seu veículos auto-motores, de certa forma e dentro da realidade brasileira, são até educados no trânsito voráz, não sei se por mérito ou precaução. Percebi que aqui no sul, mais especificamente Porto Alegre, os condutores tem uma pratica condizente com a sua história e por sua vez bairrista por que não dizer.
Quando se aciona o pisca-alerta para troca de pista em SP, o condutor logo reduz a velocidade para que o outro faça a troca de pista e percebi que é automático, aqui no sul na cidade de Porto Alegre os condutores pensam ser donos do mundo, além das más condutas naturais quando se aciona um pisca para troca de pista ele acelera como quem diz "aqui você não passa, sou melhor que você e tenho mais pressa!".
Uma atitude digna dos bárbaros ou dos homens das cavernas onde prevalece a lei da força maior.
Fico pensando se em São Paulo e outros grandes centro isso acontece por necessidade ou educação mesmo, mas aqui em Porto Alegre percebo que é muita falta de educação e que penso vir daquele velho bairrismo gaúcho.
Até quando vamos conviver com essa guerra onde morre muito mais gente que em guerras de verdade onde se conduz um fuzil e não um carro.
Comece por você, a cortesia no trânsito pode ser uma grande saída para o congestionamento, educação acima de tudo.


By Luciano Lima

10 de dez de 2009

Uma vida em trânsito

o carro, um homem pára no semáforo.
Ao seu lado, no banco da frente,
duas conchas do mar e um olhar ausente.
No banco traseiro,
fotografias,travesseiro sem o cheiro da amada,
cartas rasgadas, livros esquecidos
e jornais não lidos..
No porta – malas,
palavras não ditas, uma garrafa de vinho tinto,
poemas
e sonhos não vividos.
Feito criança, o homem brinca com o sol de sua infância.
Colhe uma flor,
aperta fundo no acelerador,
espanta a dor.
No retrovisor um amor distante.
Segue adiante.
Atravessa ruas, avenidas e curvas de sua cidade,
com árvores de coloridas saudades.
Reconhece antigas paisagens,
eterniza imagens.
Segue a viagem da vida.


Autor: Roberto Passos do Amaral Pereira

7 de dez de 2009

Curiosidades no transito

Em 13 de setembro de 1899, morreu em Nova York o primeiro homem vítima de acidente de veículo.
 Em 30 de julho de 1893, na cidade de Salvador -Ba, foi inaugurado o Hospital Santa Izabel. Os transporte dos doentes do antigo Hospital para o novo, foi realizado em bondes especiais (de tração animal), emprestado pela empresa que fazia o transporte de passageiros na cidade. A distância era próxima a 5 km.
 Em 1904, existiam no mundo aproximadamente 55.000 veículos.
 Em 1908 foi adotada a primeira legislação referente ao licenciamento de condutores de veículo em Rhod Island
 O primeiro acidente de trânsito no Brasil foi obra do poeta Olavo Bilac, em 1897, no Rio de Janeiro, ele chocou-se em uma árvore.
 O grego Homero (VIII a.c.) e Leonardo da Vinci (1452-1519), chegaram a descrever o carro, mas somente em 1769 o francês Nicolas-Joseph Carnot fez o triciclo com o motor a vapor do escocês James Watt.
 O Império Romano em meados do primeiro século antes de Cristo, já lidava com o congestionamento do tráfego em Roma, no qual, uma das primeiras medidas de Júlio César, foi banir o tráfego de "rodas", durante o dia, no centro de Roma. Mais tarde, foi limitado o nº de carruagens que poderiam entrar na cidade.
 Antigamente, nas cidades de Pompéia e Roma, os pedestres já eram objetos de preocupação e cuidado. As ruas da Roma antiga eram feitas de pedras assentadas uma ao lado da outra. A travessia de pedestres era feita por blocos de pedra quadrados colocados sobre a rua, um sim, um não para que as rodas das carroças e bigas passassem entre os vãos. A "faixa de pedestres"romana tinha como objetivos: a segurança, a facilidade de travessia e também a redução forçada da velocidade das carroças. Tudo isso para adaptar o ambiente ao pedestre e não ao carro.
 No livro de Jô Soares,"O Homem que matou Getúlio Vargas", em determinado trecho, fala sobre a utilização de táxis para o transporte de soldados franceses para o front da batalha durante a 1ª guerra mundial. Na verdade, foram encomendados pelo governo Francês, 1.200 veículos a fábrica Renault ,que entregou o pedido com o modelo Renault AG 8 cv de 2 cilindros, que transportaram 5.000 soldados. Os táxis ficaram conhecidos como os "Taxi de Marne".
 A primeira estrada macadamizada do continente surgiu em a 23 de julho de 1861 com  a rodovia União Indústria  (ligava os Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais), com 144 km de extensão, sendo 96 km no estado do Rio de Janeiro e 48 km em Minas Gerais
 Uma pessoa atropelada a uma velocidade de 60Km/h equivale a uma queda do 11º andar de um prédio, a 80Km/h do 20º andar e se for a 120Km/h como se fosse do 45º andar.
O primeiro Código de Trânsito do Brasil, foi o Decreto -Lei nº 3.671 de 25 de setembro de 1941, mas de maneira esparsa, algumas Leis já tratavam do trânsito desde 1910, como Decreto nº 8.324 de 27 de outubro daquele ano, que cuidava do serviço subvencionado de transporte por automóveis.


5 de dez de 2009

Veja que absurdo


E onde está a civilização humana? Cachorros fazem isso? gatos fazem isso? Não da pra chamar de animal...Nossa que deturpação de idéias.

Campanha sobre celular no trânsito Minas Gerais

4 de dez de 2009

Direção Ofensiva

Sabe aquele motorista que se acha o novo Ayrton Senna das pistas? Que corre costurando entre outros carros como se estivesse numa corrida? Ele existe. E, infelizmente é impune. Problemas como esse se agravam com eventos como o recente desligamento de todas as lombadas eletrônicas em Curitiba e por aí vai.
Esse típico motorista, normalmente sai impune, mas às vezes temos boas notícias. Como a relatada nesse vídeo abaixo. Sobre a punição a dois motoristas por crime de trânsito há 7 anos, em Niterói-RJ


PACIÊNCIA

Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados... Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.
Por muito pouco a madame que parece uma lady solta palavrões e berros que lembram as antigas trabalhadoras do cais... E o bem comportado executivo? O cavalheiro se transforma numa besta selvagem no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar...
Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma mala sem alça. Aquela velha amiga uma alça sem mala, o emprego uma tortura, a escola uma chatice.
O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela.
Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado...
Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais.
Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus.
A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.
Pergunte para alguém, que você saiba que é ansioso demais onde ele quer chegar?
Qual é a finalidade de sua vida?
Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.
E você?
Onde você quer chegar?
Está correndo tanto para quê?
Por quem?
Seu coração vai agüentar?
Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar?
A empresa que você trabalha vai acabar?
As pessoas que você ama vão parar?
Será que você conseguiu ler até aqui?
Respire... Acalme-se...
O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência...


NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL...
SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA...


Arnaldo Jabor