13 de dez de 2009

Bela campanha de trânsito será que pega?

Gaúcho no trânsito


Antes de começar a escrever, fui procurar no http://pt.wikipedia.org a definição de "bairrismo" e encontrei a seguinte definição.
"O chamado bairrismo é a qualidade ou ação de quem freqüenta ou habita um bairro. Quem defende os interesses do bairro ou de sua terra tanto por atitudes de defesa exacerbada de suas alegadas virtudes, ou, por analogia, da terra natal de alguém. O termo geralmente possui uma conotação negativa, pois ao bairrismo está vinculada uma visão estreita de mundo que menospreza tudo aquilo que vem de fora. Raramente o bairrismo é encarado como uma atitude positiva, de amor e orgulho por uma região."


Busquei a definição por que queria ter certeza do que penso, bom na verdade sempre ouvir falar que o Gaúcho é extremamente bairrista, tanto por sua maneira de ser como pela história contada nos autos como a revolução Farroupilha, guerra que o Rio Grande perdeu e comemora até hoje.


Em viagem a São Paulo constatei e achei intrigante a maneira como os paulistas conduzem seu veículos auto-motores, de certa forma e dentro da realidade brasileira, são até educados no trânsito voráz, não sei se por mérito ou precaução. Percebi que aqui no sul, mais especificamente Porto Alegre, os condutores tem uma pratica condizente com a sua história e por sua vez bairrista por que não dizer.
Quando se aciona o pisca-alerta para troca de pista em SP, o condutor logo reduz a velocidade para que o outro faça a troca de pista e percebi que é automático, aqui no sul na cidade de Porto Alegre os condutores pensam ser donos do mundo, além das más condutas naturais quando se aciona um pisca para troca de pista ele acelera como quem diz "aqui você não passa, sou melhor que você e tenho mais pressa!".
Uma atitude digna dos bárbaros ou dos homens das cavernas onde prevalece a lei da força maior.
Fico pensando se em São Paulo e outros grandes centro isso acontece por necessidade ou educação mesmo, mas aqui em Porto Alegre percebo que é muita falta de educação e que penso vir daquele velho bairrismo gaúcho.
Até quando vamos conviver com essa guerra onde morre muito mais gente que em guerras de verdade onde se conduz um fuzil e não um carro.
Comece por você, a cortesia no trânsito pode ser uma grande saída para o congestionamento, educação acima de tudo.


By Luciano Lima